Hino da Semana das Vocações 2019

Subsídios para a Semana das Vocações 2019

A 7km... desenhando um itinerário 2019-2022

JMJPortugal2022“A 7km...” é a distância entre Emaús e Jerusalém (cf. Lc 24,13; “duas léguas” = aprox. 7km).
“A 7km...” é a distância pedagógica que existe entre o discipulado e a missão, entre o chamamento pela escuta da Palavra e o testemunho pelo serviço, passando pela celebração da Liturgia em que se inserem os ‘7 Sacramentos’.
“A 7km...” é a aspiração de que a experiência do acompanhamento dos jovens nos 6 arciprestados da diocese seja pacientemente incrementada por uma espiritualidade comunitária, no sentido da formação e envio de verdadeiros discípulos missionários.
“A 7km...” é o folheto que acompanhará os 7 semestres da preparação dos jovens da Diocese de Viseu para a participação na Jornada Mundial da Juventude que se realizará em Portugal, no verão de 2022.

PUBLICAÇÕES: Descarregar PDF's (todos os meses na Oração Taizé)  EVENTOS: pontes2panamá (26-27jan2019) |Assembleia Nacional de Jovens (Leiria, 23fev2019)| Assembleia Diocesana de Jovens (Senhor dos Caminhos, 13 abril 2019) | Oração mensal com cânticos de Taizé (igreja dos Terceiros, ver datas no evento)

Próximos eventos

4-5 mai. 2019FÁTIMA JOVEM/FESTIVAL NACIONAL

4-5 mai. 2019
FÁTIMA JOVEM/FESTIVAL NACIONAL

11-12 mai. 2019RETIRO P/ ANIMADORES E CATEQUISTAS CRISMA

11-12 mai. 2019
RETIRO P/ ANIMADORES E CATEQUISTAS CRISMA

Informações e inscrições oportunamente

(data a decidir) jul. 2019JORNADA DIOCESANA DA JUVENTUDE/SILOÉ'19

(data a decidir) jul. 2019
JORNADA DIOCESANA DA JUVENTUDE/SILOÉ'19

Informações e inscrições oportunamente

Todos os eventos

Todos os eventos

JMJ Portugal 2022, uma ponte do futuro para o agora dos jovens!

Ao ouvir, com muita alegria, a declaração de que Portugal irá ser palco para a realização da Jornada Mundial da Juventude em 2022, e recolhendo algumas reações eruditas acerca deste anúncio, partilho o testemunho do meu olhar sobre os jovens, entre o sonho e a realidade. As próximas JMJ, em Portugal, poderão vir a ser:

― Um desafio grande para um país pequeno, mas com memória de uma alma grande, que a perdeu e precisa de restaurar em favor do agora dos jovens, conforme o Papa Francisco tem vindo a sugerir desde a visita “ad limina” dos Bispos em 2015, em que se referiu como questão séria a “debandada dos jovens”.

 

― Um risco a assumir, com todos os benefícios colaterais que podem advir de um encontro dos jovens com o Sucessor de Pedro, (re)ligando o futuro dos jovens a Jesus Cristo e à Igreja, a partir, embora independentemente, da imagem do Papa.

― Uma forma de a Igreja e a Sociedade civil darem as mãos na promoção de valores que, mais do que as ideologias, estão mais que provados no garantir a felicidade a longo prazo, para toda a vida, como tem vindo a ser sublinhado com os motes da tolerância e da paz.

― Uma plataforma para a África, um continente que nunca teve a graça de realizar um evento desta envergadura, mas que, a partir de Portugal, pode vir a conseguir uma resposta positiva a uma candidatura que, também, lhes seja favorável quanto ao presente e futuro das novas gerações.

― Em concreto, para a pastoral com os jovens em Portugal, poderá vir a ser não só um grande instrumento quanto ao acompanhamento dos jovens, na fé e no discernimento vocacional, como protagonizou o há pouco acontecido “Sínodo dos Jovens”, mas também um grande instrumento de comunhão eclesial, se se tiverem em conta todos os membros de que são feitos este “corpo” que é a Igreja em Portugal.

P. TóJó

7km banner sites